“Organizações do amanhã não serão capazes de arcar com o desperdício do envolvimento em atividades inúteis” Eric Ries

Se você curte inovação, startups, modelos de gestão mais atuais, provavelmente sabe quem é Eric Ries. Escritor dos livros “Start up Enxuta e “Start up Way”. Neste último, Ries conta o que as empresas devem fazer para estimular a inovação e encontrar novos caminhos de crescimento, através da transformação contínua. E um dos pilares que ele cita como precursores desta transformação é a cultura do “empreendedorismo corporativo” – ou intraempreendedorismo.

‘Intrapreneur, significa empreendedor interno, ou seja empreendedorismo dentro das organizações. O conceito de intra-empreendedorismo foi estabelecido há três décadas, mas veio a tona no Brasil, nos últimos dez anos. Mas nos últimos 5 anos, a cultura dos novos perfis de colaboradores, a crise e a necessidade de crescimento e de times de alta performance, forçaram as empresas de modelo antigo a valorizarem essa opção. Hoje, esse conceito já está muito difundido e valorizado nas organizações para acelerar as inovações através do uso melhor dos seus talentos empreendedores. Intraempreendedorismo é um sistema que oferece uma maneira saudável para se reagir aos desafios empresariais do novo milênio. Mas eu particularmente, acredito que o intraempreendedorismo não é apenas ferramenta de inovação. Pode – e deve – ser usado com outros objetivos de gestão de performance de equipe. É uma nova forma de liderar e capacitar times de alta performance.

Então, separei aqui um preview do que o ele cita no livro, Start Way, como as principais dicas de desenvolvimento do Intra-empreendedorismo nas organizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *